Monday, August 14, 2006

Wait 'til you see Her

Quero
Sentir seu corpo em meu corpo,
Pois sem você meu muito é pouco
Eu sinto tanto frio sem o seu calor
Quero
Sentir sua boca em minha boca
Dizer que ando quase louca
Pra ser sua mulher e ter o seu amor
Eu quero ser sua
Sua de qualquer jeito
Eu quero ser sua
Mesmo sem ter direito
Quero
Dizer que sinto sua falta,
Pois sua ausência me maltrata
E é grande o meu desejo por você
Quero por uma noite seu carinho
Do seu amor fazer meu ninho
Não quero nunca mais ouvir você dizer adeus
Quero, quero, quero, quero, quero seu amor

"Quero ser sua" (Odair José)

10 Comments:

Blogger [brixbix] said...

Fala Domingos, obrigada pela sua vista no meu blog! Amei essa capa da Rosemary... fantástica! =D
Grande abraço.

12:43 PM  
Blogger Domingos Junior said...

A Rosemary tá uma coisa indescritível nessa capa mesmo, brixbix! A voz dela nessa música tá pra lá de sexy! E ainda tem o arranjo do Zé Roberto Bertrami, do Azymuth...

1:07 PM  
Anonymous Permafrost said...

Teressante este blog. ¿Vc é caçador de discos antigos de mpb?

12:57 AM  
Anonymous lia said...

Rapaz, Odair está rodando em loop aqui em casa. Coisa de louco, altos roques. Mas o mais 'coisa de louco' disso tudo é que ainda insistem em chamar o cara de brega. Ora... ora...

("essa ciranda quem me deu foi Lia"... registrei mas não botei na playlist ainda!)
;)

11:57 PM  
Blogger Domingos Junior said...

permafrost: Muito grato pela visita. Sei bem que o dr. Plausível não há de perder tempo com coisas tolas, não é mesmo?
Ah, sim. Nas horas vagas, vou à caça para garantir as provisões.
Mas me diga uma coisa: você acha realmente essa faixa do "Play" do Magazine tão significativa a ponto de usá-la como codinome? Eu acho "The light pours out of me" tão, mas tão impactante...
lia: Captou a idéia! As letras e os arranjos das músicas do Odair José (dos discos dos 70 e começo dos 80) são incríveis mesmo. Aliás, é tão surpreendente quanto os primeiros discos do Ivan Lins e os dos anos 60 do Agnaldo Timóteo e do Waldik Soriano. É verdade. Juro por todos os deuses. Não quero transformar nada ruim em "cult". É só um olhar sem cabresto. Just feel the music!
(Isso, isso... registra a ciranda da Lia, que cê vai gostar. Sugestão: a do primeiro disco do Baiano e os Novos Caetanos.)

8:22 AM  
Blogger [brixbix] said...

Rapaz, totamente!! Hahahaha! A única diferença é que não curto animes... mas de resto, serviu como uma luva!! Sou uma ocidental-otaku! Abs!

8:24 AM  
Blogger thiago mello said...

Muito bom o seu blog, vou linkar lá no meu. Fiquei curioso quanto as músicas que vc citou lá... Um abração.

12:52 PM  
Blogger Domingos Junior said...

Ah... pode lincar, Thiago!
A gente (eu pelo menos)tem uma baita preconceito contra certos artistas (Waldik, Timóteo...)e, na verdade, essas gravações do Waldik, do começo dos 60, na Chantecler, e na Copacabana até o final dos 60, são muito boas. Ele era um cantor de boleros e sambas-canções (fora de época, talvez) de mão-cheia. Ótima voz, arranjos incríveis e letras menos melodramáticas do que aquelas com que ele se tornou mais conhecido. Enfim, ele era um grande cantor nos 60, mas acabou ficando com a pecha de "brega" por causa do que fez nos 70.
Vale a procura! Se ficar difícil, fala comigo que eu tenho algumas dessas gravações.
Certo?

1:55 PM  
Blogger Personal Truquer said...

música buadérrima!
Passa lá no brog tb!
besos
Carol

5:47 PM  
Blogger Domingos Junior said...

Hey, Carol! Cê (aguardando o novo disco do Caretano) pode dar um sinônimo pra esse regionalismo "buadérrima"? Não me deixe ficar perdido na tradução...

3:50 AM  

Post a Comment

<< Home